Pacientes tratados pelo Ablatherm® HIFU testemunham

Como ouviram falar do tratamento Ablatherm®HIFU? Quais eram suas preocupações? O que esse tratamento mudou para eles? Pacientes tratados por HIFU testemunham.

Se também foi tratado por HIFU, você pode deixar seu depoimento.

Boris, 83 anos

"Em 2001, meu urologista confirmou um câncer na próstata e me propôs três opções, entre as quias o Ablatherm® HIFU. Meu urologista disse, ou você faz um cirurgia clássica, ou você opta por uma radioterapia, ou você vai visitar o professor Vallancien para uma termoablação.
Para fazer minha escolha com conhecimento de causa, reuni-me com um especialista na técnica que me apresentou o tratamento Ablatherm® HIFU. Não havia risco de acidente como na radioterapia, a internação hospitalar era curta, as perdas de urina limitadas e nenhum tratamento a seguir depois.
Convencido, beneficiei-me de uma termoablação em 19 de setembro de 2003. O procedimento em si, por via endorretal, é totalmente indolor. Até acredito que adormeci um puco durante o tratamento.
Senti dores nos três primeiros dias e gostei de sair rapidamente sem perda de urina.
Hoje sou sempre acompanhado por meu urologista, estou bem e minha taxa de PSA é estável após a termoablação. »

Jacques, 70 anos

"Em outubro de 2007, fui diagnosticado com câncer da próstata e meu médico me propôs o tratamento por cirurgia, radioterapia ou braquiterapia. Eu recusei categoricamente a prostatectomia total. A radioterapia implicaria em 35 sessões durante 7 semanas, o que me parecia muito difícil de enfrentar". Agindo por eliminação e não conhecendo o Ablatherm® HIFU, Jacques opta então pela braquiterapia.
A implantação dos grânulos radioativos ocorreu em março de 2008. "Em dezembro de 2008, após as biópsias de controle e temendo uma recidiva do câncer, fui até o Centro Hospitalar Universitário de Lyon para examinar uma termoablação, único tratamento que permite tratar novamente uma próstata já irradiada quando uma recidiva local está comprovada. Foi a primeira vez em que meu médico me falou da termoablação. Todos os testemunhos que pude ler (sobre o Ablatherm® HIFU) sublinham a preservação da qualidade de vida e fazem com que eu me ressinta de não ter podido me beneficiar desse tratamento inicialmente".

Jean, 80 anos

História
"O urologista me prescreve um tratamento por radioterapia [...]. Fico um pouco desamparado, em vista dos efeitos secundários sofridos por amigos que escolheram a radioterapia e dos testemunhos lidos em diferentes fóruns. Felizmente, um amigo médico me informa que existe um tratamento por ultrassons (Ablatherm® HIFU) que dá bons resultados.
Em novembro de 2004, na época com 76 anos, uma primeira termoablação foi praticada em um lóbulo, sob anestesia local. 5 dias de intenção, nenhuma dor e no dia seguinte de minha alta, eu volto para casa dirigindo sozinho meu carro, sem problemas (300 quilômetros). Posteriormente, eu não encontro nenhum efeito secundário (continência, virilidade). Em abril de 2005, uma segunda termoablação foi feita no segundo lóbulo. O PSA cai e a biópsia programada em outubro não revela nenhum tumor.
Finalmente, me encontro, aos quase 81 anos, com boa saúde, um conforto de vida não alterado, uma boa moral e ocupações que me fazem passar os dias muito rapidamente: ocupações sociais (Rotary), intelectuais (informática, montagem de vídeo), manuais (bricolagem, jardinagem), vida familiar etc."

Michel, 62 anos

"Quando meu médico me comunicou, em 2007, que eu tinha um câncer da próstata de estágio I, ele me aconselhou a operar, enquanto o médico de minha esposa, 100% contrário à intervenção, optava por um simples monitoramento. Na época ele me explicou que eu tinha a opção da radioterapia e a da prostatectomia radical. Ele nunca me falou da termoablação. Assim eu optei pela operação, decisão da qual me arrependo hoje. Ninguém me alertou de que eu deveria utilizar 3 ou 4 proteções por dia".
Depois de 6 a 7 semanas de convalescença, "voltei a andar de bicicleta, o que me ajudou a eliminar as fugas, mas tenho a sensação de não ser mais o mesmo. Eu gostaria que meu urologista tivesse falado do Ablatherm® HIFU. Hoje eu faço parte de uma associação de pacientes, espero que as coisas melhorem e que outros tenham mais chance que eu."