Câncer da próstata: os tratamentos

Tratamentos para o câncer localizado da próstata


Os cânceres localizados da próstata (estágios T1 e T2) podem ser tratados por diferentes métodos em função das características da enfermidade e das opções do paciente.

Ultrassom focalizado de alta intensidade: tratamento não invasivo, sem incisão e sem radiação
 

Ablatherm HIFU deviceO tratamento HIFU (High Intensity Focused Ultrasound) por Ablatherm® HIFU ou termoablação consiste em destruir a próstata por meio da "queima" com ultrassons focalizados. Para fazer isso, uma sonda é introduzida no reto do paciente sob anestesia raquidiana ou geral e permite, por sua vez, visualizar a próstata e gerar os ultrassons focalizados de alta intensidade que a destruirão. A próstata pode ser tratada inteiramente ou preservando os nervos eretores (nervos junto à próstata que permitem ter ereções) ou ainda de modo focalizado (tratamento focal). O tratamento Ablatherm® HIFU dura entre 1h30 e 2h30 e pode ser realizado em ambulatório ou com uma breve internação no hospital (1 ou 2 noites).

Prostatectomia radical: cirurgia

Radical prostectomyA prostatectomia radical ou total consiste em retirar cirurgicamente a próstata e as vesículas seminais. Trata-se de uma cirurgia pesada sob anestesia geral, que necessita de uma ou mais incisões (corte da pele e dos tecidos para alcançar o órgão) de acordo com a técnica utilizada. O tempo de internação varia entre 5 e 7 dias e, em seguida, são necessárias aproximadamente de 3 a 4 semanas para a recuperação, seja qual for a técnica utilizada. Os efeitos secundários principais são a impotência (impossibilidade de ter ou de manter uma ereção) e a incontinência (impossibilidade de reter a urina).

Radioterapia externa: tratamento por raios

O paciente recebe raios em alta dosagem focalizados sobre a próstata. Esses raios destruirão as células, provocando lesões em seu DNA. O tratamento é fracionado em aproximadamente 40 sessões divididas em 6 a 8 semanas, à razão de 5 dias por semana. No decorrer das sessões, que duram cerca de 20 minutos, o paciente fica imóvel sobre a mesa de tratamento e a máquina emite os raios sem provocar dor no paciente. Os efeitos secundários principais são a impotência (impossibilidade de ter ou manter uma ereção), que pode surgir mesmo vários meses após o tratamento, e os problemas intestinais (dores, cólicas, hemorragias).

Radioterapia ou braquiterapia: implantação de grânulos radioativos

Brachytherapy

A radioterapia consiste em implantar um número considerável de pequenos grânulos radioativos (entre 50 e 100), quer temporária ou permanentemente. Esses grânulos emitem raios contínuos que destruirão as células da próstata, provocando lesões em seu DNA. A intervenção é realizada sob anestesia geral. O médico ou radioterapeuta colocará os grânulos visualizando a próstata por ecografia (sonda introduzida no reto). Os efeitos secundários são, em geral, os mesmos que ocorrem na radioterapia externa.

Crioterapia: tratamento pelo frio

A crioterapia é uma técnica que visa a congelar a próstata introduzindo nela agulhas que vão gerar temperaturas inferiores a 0 °C. A operação é realizada sob anestesia raquidiana ou geral.

Monitoramento ativo: monitorar sem tratar

Para pacientes idosos acometidos de câncer da próstata de baixo risco, pouco agressivo e assintomáticos, o monitoramento ativo pode ser uma solução. Consiste em acompanhar com muita regularidade o paciente (a cada 3 meses) para monitorar a evolução da doença e decidir por um eventual tratamento.

Tratamentos do câncer avançado da próstata

Hormonoterapia: tratamento por hormônios

O tratamento hormonal é utilizado nos pacientes em que o câncer se propagou além dos limites da próstata. O tratamento hormonal não cura o câncer, mas tem por finalidade diminuir a taxa de hormônios prejudiciais e, principalmente, a testosterona, desacelerando assim a progressão da doença. É necessário saber que a testosterona é produzida pelos testículos e estimula a proliferação das células prostáticas cancerosas.
A ação dos hormônios sobre o câncer da próstata é temporário e ao final de 2 anos, em média, os pacientes apresentam uma resistência aos hormônios, tornando assim o tratamento ineficaz.

Quimioterapia

A quimioterapia é utilizada para tratar os pacientes que apresentam uma resistência aos hormônios. A quimioterapia diminui o crescimento tumoral e pode diminuir as dores ligadas ao câncer.

Radioterapia: tratamento por raios

Em caso de câncer metastático, a radioterapia permitirá aliviar os sintomas e conter a propagação da doença.
 

 

Last update November 18, 2010.